top of page

E agora... Quando devo mudar o sistema de manta asfáltica?

Atualizado: 6 de mar. de 2023


Infiltrações, umidade e mofo são alguns dos sinais que indicam a necessidade de renovar o sistema de impermeabilização.


A vida útil dos sistemas de impermeabilização é variável, o tempo médio está estimado em cinco anos. Porém, há produtos que mantêm o desempenho esperado por três anos e também existem os sistemas que duram entre 15 e 20 anos - o que vai depender da qualidade do material utilizado, da especialização da mão de obra que executou o serviço e da preocupação em realizar manutenções periódicas. Eventualmente no decorrer dos anos, a manta asfáltica pode precisar ser substituída, de forma a não correr riscos e garantir a proteção dos elementos estruturais.


Quando a impermeabilização começa a perder sua eficiência, é possível notar alguns sinais, a queda de desempenho ocorre de maneira gradativa, fazendo com que apareçam pontos de infiltrações, nesse momento é importante realizar a troca do sistema.


Outro indicativo de que há algo de errado com a impermeabilização é o aparecimento de umidade, mofo e consequentemente danos nos móveis que existem no ambiente afetado. É muito raro que a substituição da solução aconteça levando em consideração a expiração da vida útil do material, geralmente ocorrem somente quando os problemas começam a aparecer.


SUBSTITUINDO A IMPERMEABILIZAÇÃO


A etapa de planejamento da substituição do sistema de impermeabilização é a fase mais complexa. Sendo necessário incluir variáveis como os fatores climáticos e o tipo de produto que será empregado. Esse também é o momento de contratar uma equipe treinada e qualificada para manusear a solução.


No planejamento, é preciso ainda pensar no tratamento prévio que a área deverá receber, como a remoção de revestimentos, regularização e tratamento de fissuras. Não se pode esquecer a proteção mecânica, quando exigida em projeto, além dos períodos de aplicação, cura e testes necessários.


PASSO A PASSO PARA REFAZER A IMPERMEABILIZAÇÃO DA MANTA ASFÁLTICA


1 – DEMOLIÇÃO (PISO E PROTEÇÃO MECÂNICA)

A primeira etapa de uma reforma de um sistema de manta asfáltica é a demolição do piso e da proteção mecânica existentes.


A demolição é essencial, pois não é possível aplicar uma nova manta sobre um piso que apresenta defeitos. As patologias apresentadas continuarão a existir, e há um risco para o elemento estrutural.

* Durante as etapas de remoção do piso e da proteção mecânica haverá bastante entulho. Como em toda obra, já deve ser previsto o transporte e descarte correto dos dejetos.


2 – REMOÇÃO DA IMPERMEABILIZAÇÃO

Após a remoção do piso existente e da proteção mecânica, finalmente a manta asfáltica está exposta. Nesse momento é possível começar a retirada do sistema de impermeabilização que está apresentando falhas.

A remoção feita com o auxílio de máquinas é bem mais fácil e rápida, especialmente em grandes áreas. A manta asfáltica fica bem aderida à superfície, portanto o processo de retirada em determinados casos pode ser um pouco mais difícil.

A manta deve ser retirada por completo, de forma a garantir que os próximos passos da reforma possam ser executados de maneira correta.

* O entulho gerado nessa etapa da obra deve ser destinado à locais apropriados para o descarte desse tipo de material.


3 – REGULARIZAÇÃO

A regularização é importante para proteção da estrutura, e também para proporcionar uma superfície limpa e regular para aplicação da nova impermeabilização. Essa etapa é feita com o lançamento de argamassa conforme especificação de um profissional.

É muito importante prestar atenção aos traços da argamassa e respeitar os processos e prazos de cura da camada de regularização, para evitar bolhas de ar, pontos fracos, fissuras, perda excessiva de água, e qualquer tipo de problema que comprometa a camada de regularização.


4 – IMPERMEABILIZAÇÃO (NOVA)

Finalmente depois de retirada a impermeabilização antiga, e feita a nova regularização, chega o momento de aplicar a nova manta asfáltica. É imprescindível que este serviço seja executado por empresas e profissionais habilitados e experientes.


A aplicação da nova manta asfáltica deve ser feita sobre superfície limpa, regularizada, livre de poeiras, óleos, graxas, com os caimentos corretos e meias canas nas quinas, eliminando cantos vivos.


Primeiramente deve ser aplicado o primer, que é a tinta de ligação entre a superfície e a manta asfáltica. Quando o primer estiver seco, desenrolar a manta sobre a superfície do ponto mais baixo para o ponto mais alto. Com o auxílio de um maçarico, a manta é colada na superfície.


* O processo deve ser feito seguindo rigorosamente as instruções do fabricante, especialmente nas emendas que são os pontos mais críticos, sempre respeitando 10cm de sobreposição (ou conforme orientação).


5 – TESTE DE CARGA (ESTANQUEIDADE)

O teste de estanqueidade consiste simplesmente em preencher o local com certa quantidade de água, esperar um tempo entre 48 e 72 horas, e realizar uma inspeção visual. A realização do teste é indispensável, pois através dele é possível identificar problemas para que sejam rapidamente corrigidos, reduzindo assim alguns gastos futuros com manutenção.


6 – CAMADA SEPARADORA

Previamente à proteção mecânica, deve ser instalada uma camada separadora, normalmente feita com papel kraft, filme de polietileno, ou similar.


Essa camada evita o contato direto das camadas superiores com a manta asfáltica, aumentando a sua durabilidade.



7 – PROTEÇÃO MECÂNICA

Depois da camada separadora, pode ser feito o novo contrapiso ou outro tipo de proteção mecânica conforme a especificação de projeto. Novamente é importante salientar a importância desta proteção, pois a manta asfáltica, em seu tipo mais comum, tem baixa resistência aos choques mecânicos.

Da mesma forma, essa etapa deve seguir as especificações de norma em relação ao traço e aos processos de cura. Depois de feito o contrapiso, é possível a instalação de um novo piso na área.


CUSTOS


Quanto aos custos, deve considerar a remoção do sistema de impermeabilização existente, as etapas de tratamento prévio da superfície, além da aplicação propriamente dita do sistema de impermeabilização. Por isso sempre aconselhamos que sejam feitas manutenções periódicas, além do uso de bons materiais e mão de obra de qualidade.


No caso de qualquer dúvida, faça contato conosco, nossa equipe técnica é altamente qualificada e está sempre a postos para ajudá-los.

26 visualizações0 comentário

Comments


006 (1).png
bottom of page